Rio CVB fala sobre o legado do Congresso Mundial de Arquitetura para a TV Alerj

Notícias recentes sobre o que acontece de mais importante voltar

 

A cidade do Rio de Janeiro é a primeira Capital Mundial de Arquitetura. Além do título, recebido pela Unesco, o município ficará responsável pela organização do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, evento captado pelo Rio CVB, que acontecerá entre 19 e 26 julho de 2020.

Para debater o legado desse congresso, o arquiteto e urbanista, membro do comitê executivo do Congresso Mundial de Arquitetos, Luiz Fernando Janot, e o diretor-executivo do Rio CVB, Philipe Campello, falaram sobre o impacto nos setores de turismo, finanças e arquitetura para o programa Rio em Foco, da TV Alerj, que foi ao ar no dia 18 de fevereiro e também pode ser assistido neste link: https://youtu.be/WYSvIMEBxvc

“O evento tem uma importância imediata na geração de receitas. São previstos de 15 a 20 mil arquitetos que vão visitar o nosso estado. Em nosso levantamento, são mais de 35 milhões de dólares que a cidade vai receber com táxi, hotel, restaurante, atrativos, visitação, isso tem um benefício direto. Além disso, outro ponto importante é a questão da visibilidade”, esclareceu Campello.

Para Janot, a ideia é estender o evento ao longo de 2019 até sua realização em 2020. Ou seja, ter um modelo organizacional que vise um legado maior e que possibilite que o Rio ou o país continue sendo sede de eventos desse porte.

“A experiência profissional, a pesquisa e os trabalhos acadêmicos, além do compromisso e metas para os próximos anos são os três eixos fundamentais do Congresso. Ele não está limitado ao Rio de Janeiro. Estamos planejando para que esse evento tenha uma dimensão nacional”, disse Janot.

A captação de eventos e feiras estimula o turismo de negócios no Brasil. Campello acredita que o Congresso de Arquitetura é uma verdadeira vitrine para o Rio e diz que a cidade tem um grande potencial.